domingo, 15 de janeiro de 2017

O ABC DO NOSSO AMOR E DESAMOR


💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💑💑💑💑💑💑💑💑💑💖💖💖💖💖💖💖💖💖👫💗💗💗💗💗💗💗💗💗💗

 
IMAGEM INÉDITA DO PÔR DO SOL
 

O ABC DO NOSSO AMOR E DESAMOR

 

Você é a minha cartilha de ABC,

Com todas as consoantes e vogais

Não tem jeito de esquecer você,

Porque sempre lhe amei de mais.

 

A primeira letra é o “A” de amor,

O que tive por você todo momento,

Mesmo sofrendo ainda a grande dor,

Continuei vivendo esse sentimento.

 

O “B” exprime a sua beleza e bondade,

Que me tornava sempre alegre e feliz,

Ao conviver com sinceridade e lealdade,

Você foi o amor que eu sempre quis.

 

A letra “C” reflete todo o seu carisma,

Para ajudar a mim sem querer troca,

Com muita confiança e sem sofisma,

Tudo isso é que o seu coração evoca.

 

“D” é dádiva e presente de DEUS,

Foi você quem Ele me presenteou,

No cosmo, me considero um Zeus,

Na terra, vivendo um imenso amor.

 

O “D” diz não ter no amor divisão,

Ele é uníssono e não há partilha,

Fomos dois em um só coração,

Amando, nessa pequena ilha.

 

“E” é uma letrinha bem especial,

Que iluminou muito a nossa vida,

Emoção e esperança não fazem mal,

Você foi luz e uma estrela colorida.

 

Falo a verdade e sem fazer blefe,

Muito importante a letrinha “F”,

felicidade existe e até acontece,

Existindo a união, o amor cresce.

 

Guardo no peito uma saudade,

 O “G” garante muita gratidão,

Gera aos casais confiabilidade,

Lealdade e muita paz no coração.

 

O “H” entrou para a história,

Confio muito na minha mente,

Vivemos momentos de glória,

Muito felizes e amor ardente.

 

Na letra “I” lembro dos nossos ideais,

Idéias incansáveis para vencer na vida,

Das projeções tempestivas e informais,

Ingredientes necessários para viver mais.

 

“J” é a letra inicial do meu nome,

JOSEMIR MORAES - sou conhecido,

Josélia, Jandira, Josefa e a Ivone,

Amo-as e não sou compreendido.

 

A letra “L” exprime a nossa liberdade,

De expressão, ir e vir, na constituição,

O exercício pleno de sua capacidade,

Ter direito, dever e também obrigação.

 

O “M” tem um som bem gratificante,

Pronunciado pelos amigos todo o dia,

MORAES! Quero que você me adiante,

Informação, que para mim tem valia.

 

O “N” não faz parte do meu dicionário,

Negação, não sei, nada sei, eu não gosto,

Acho um pecado e não faço comentário,

Vocês sabem de quem falo, eu aposto.

 

A letra “O”, lembra-me de organização,

Ordem, ordeiro, opressão e oprimido,

Ordenança, ordinário, otário e omissão,

Orgulho, ofensa, oponente e deprimido.

 

O “P” é falado nas bocas dos pobres,

Também é especialidade dos nobres,

Preto, puta e pobre, iguais em condição,

Negro é racismo, puta e pobre é gozação.

 

O “Q” representa muita quantidade,

De amor que tenho por você Quitéria,

Sou apaixonado e morro de saudade,

Choro todo dia, nas ruas, vias e artérias.

 

O “R” só é bem empregado quando rio,

Quando falo sobre ruindade e ratazana,

Raridade, ranzinza, remorso e arredio,

Não ficarei feliz - só me causa arrepio.

 

A letra “S” tem toda uma extensão,

Saudade, sentimento e sofrimento,

Seriedade, sentença e separação,

Palavras que ouço e não agüento.

 

Já o “T” sempre vai acontecer,

Do amanhecer ao anoitecer,

Tempo e trabalho pra vencer,

Pensando sempre em você.

 

“U” é uma letrinha complicada,

Pela sonoridade que apresenta,

Utopia, ultimato, tudo se acaba,

Utilidades que ninguém comenta.

 

Vejamos agora a letrinha “V”,

Aquela que faz lembrar você,

Volte e venha voando me ver,

Verás a verdade, iremos vencer.

 

Com o “X”, eu marco a questão,

Na matemática do nosso amor,

Não queria a minha reprovação,

Pra não ficar ferido e com dor.

 

Com “Z” encerro esse dilema,

Com muita proteção de DEUS,

Procurando sair do problema,

A você meu amor - digo Adeus!

 

Autoria: Josemir Moraes - (Oficial do Exército, Bacharel em Direito, outros, investidor - ramo imobiliário, modesto escriba, compositor, afilhado de poeta e caboclo sonhador).

 



quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

EU QUERO ESSA LAGARTA

UMA LAGARTA INOFENSÍVEL



No contra-ponto.

Nova espécie de lagarta encontrada.
Come tudo, cartão de crédito, conta corrente, poupança, CDB, CDI, carro, moto,
barco. Vai tudo, meu irmão. E aí, você enfrenta essa barra?



EU QUERO ESSA LAGARTA!

Eita lagartona bonita danada,
comprida como uma estrada,
aonde a bicha foi encontrada?
Quero-a, como minha namorada.

A ela, eu darei tudo que quiser,
carro novo, dinheiro e alegria,
por essa lagarta, tenho simpatia,
poderá um dia, ser minha mulher. 
             
Toda lagarta vira uma borboleta,                   
viverá em contato com as flores,
a sua cor é morena, com faceta
é um inseto que não causa dores.

Você pode destruir o meu pomar,
queimar alguma vez a minha mão,
vai se transformar numa borboleta,
nesse dia - irei morrer de paixão.

Após essa legal metamorfose,                                 
e bem esperada transformação,
a nossa vida será uma apoteose,
e assim, eu ofereço o meu cartão.

Irei abrir imediato uma poupança,
para depositar uma importância,
não tenho agora, mas ganância,
acabou o tempo de arrogância.

Todo dinheiro será no seu nome,
vai luxar muito e não passa fome,
só espero, que não me abandone,
você está com um grande homem.  
                      
Alguém nunca e jamais acreditou,                        
em conhecer, e amar uma lagarta,
transformada em borboleta, e amor,
hoje estou muito feliz com essa gata.

No mundo temos que acreditar, 
na natureza e na transformação,                                                 
se o que fazemos é  para amar,
teremos só sucesso, meu irmão.  
                               
Autoria: Josemir Moraes -  MORAES DO  AGRESTE  
                                                                                                                                                
(Oficial do Exército, Bacharel em Direito, outros, investidor - ramo imobiliário, modesto escriba, compositor, afilhado de poeta e caboclo sonhador).





segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

SAUDADES DE GARANHUNS




SAUDADES DE GARANHUNS


Saudades da infância e adolescência,

bons tempos que não voltam mais,

tudo feito sem maldade e inocência.

nas grandes matinês e madrigais.


O tempo é implacável e não perdoa,

eu daria tudo para não envelhecer,

viver sempre contente e numa boa,

esquecer, e nunca pensar em morrer.


Mas o nosso destino é diferente,

somos nesse mundo um inquilino,

passageiro que passa de repente,

e um raio caindo em nossa frente.


Eu daria tudo que eu tivesse,

Pra voltar aos dias de criança,

Eu não sei pra que a gente cresce,

Se não sai da gente essa lembrança.


Aos domingos missa na matriz,

Da cidadezinha onde eu nasci,

Ai, meu Deus, eu era tão feliz,

depois de muito tempo, percebi.


Que saudade da professorinha,

Que me ensinou a ler e escrever,

Onde andará a namoradinha?

Carminha, ainda gosto de você.


Eu era igual a toda meninada,

Quanta travessura que eu fazia,

Jogo de botões sobre a calçada,

Eu era muito feliz e não sabia.

 

Estou aqui fazendo um teste,
Com rima, prosa e poesia,
Sou o MORAES DO AGRESTE,
Faço versos com alegria.


Momentos de incerteza,
O país quer consciência
Rogo a DEUS que nos proteja,
A sairmos da indecência,
E é isso que o povo almeja,
Sem nunca pedir clemência.


Irei parar por aqui,
Sou o MORAES para alguns,
Mas meu nome é JOSEMIR,
E nasci lá em Garanhuns.


Autoria: Josemir Moraes - MORAES DO AGRESTE (Oficial do Exército, Bacharel em Direito, outros, investidor - ramo imobiliário, modesto escriba, afilhado de poeta e caboclo sonhador).

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

POR ONDE ANDA O AMOR?



A imagem pode conter: 1 pessoa, nuvem

POR ONDE ANDA O AMOR?

Por onde anda o amor,
preciso logo encontrar,
sofro muito e tenho dor,

só consigo me apaixonar.

Será que foi à ingratidão,
Que me fez ficar assim,
Só consigo ter paixão,
E o amor longe de mim.

Por onde andará o amor,
Procuro sempre todo dia,
Sou um cavalheiro sedutor,
Só sei amar em demasia.

É por amar intensamente,
e não ser compreendido,
não encontro esse ente,
sofro muito e escondido.

O amor poderá aparecer,
Do bom gesto da pessoa,
Que vive direto com você,
E lhe trata bem, numa boa.

Mas o amor verdadeiro,
É um presente de Deus,
Ofertado aos filhos seus,
Depois os pais em primeiro.

Eu ainda insisto em saber,
Por onde encontro o amor,
Será que um dia vai nascer,
Estou à espera até morrer.

Em outros eu tenho visto,
Comigo é tudo diferente,
Só mesmo o amor de Cristo,
Eu já ficarei muito contente.

Autoria: Josemir Moraes - MORAES DO AGRESTE
(Oficial do Exército, Bacharel em Direito, outros, investidor - ramo imobiliário, modesto escriba, compositor, afilhado de poeta e caboclo sonhador).



EU SOU DA GERAÇÃO...










EU SOU DA GERAÇÃO... 

Que falava e pedia, por favor,
Cumprimentava, com bom dia,
Foi assim que o meu pai ensinou,
E sempre agradeço a ele todo dia.  

Para ser educado nunca será tarde,
Depende de você querer aprender,
Desejo-lhe, boa noite e boa tarde,
E o restante dependerá só de você. 

Aprendi a falar sempre eu te amo,
Com você estou feliz e contente,
Até logo amor, não lhe abandono,
Obrigado amor, não fique ausente. 

Respeitamos os nossos pais e os idosos,
Gostamos de plantas, animais e crianças,
Todos são extremamente maravilhosos,
Por eles, temos amor em abundância. 

Ao entrar num local pedíamos permissão,
Essa foi a nossa vida, com muita educação,
Mesmo em nossa casa, ou na casa do patrão,
Assim, eu fui criado desde criança, meu irmão. 

Cara feia jamais intimidou ninguém,
Sempre saudei todos com um sorriso,
É salutar, gostoso e sempre faz bem,
É como viver eternamente no paraíso. 

Amo as pessoas pelo que elas são,
Com amor, carinho e sem distinção,
Não, por algo que elas me ofertarão,
Isso vem de dentro do meu coração. 

Trato todos com carinho e lealdade,
Fazendo o bem, com honestidade,
É do meu eu e da minha capacidade,
Vivo muito feliz, com tranqüilidade.

Assim, eu fui bem educado,
Meu nome é Josemir Moraes,
Sem isso o Brasil está acabado,
Agradeço tudo, aos queridos pais. 

Autoria: Josemir Moraes - MORAES DO AGRESTE 
(Oficial do Exército, Bacharel em Direito, outros, investidor - ramo imobiliário, modesto escriba, compositor, afilhado de poeta e caboclo sonhador). 
 



domingo, 1 de janeiro de 2017

NOSSO AP SEIXAS

UM FAZENDEIRO DE SUCESSO


Pois bem, meus caros amigos e amigas. Não vivam estressados, relaxem, venham repousar e também curtir uma praia calma, longe de tubarões e pegar um bronze natural, com a presença do astro-rei, nas areias limpas e águas calorentas tropicais, na linda Praia do Seixas, localizada no litoral sul da Paraíba. 
É nesse paraíso tropical que me escondo por diversas vezes, quando estou com sintomas de cansaço, por excesso de trabalho; estressado mentalmente pelo acúmulo de obrigações no dia a dia; problemas que afetam os nossos sentimentos e outros assuntos desagradáveis, que não são bons para mim, para você e para o nosso país.
Fiz exatamente isso, no período de comemorações do Natal (nascimento de Jesus Cristo), do ano de 2016, até o início do ano de 2017.



Esvaziei o imprestável acumulado no ano de 2016,
coloquei na lixeira, sem querer ou esperar retorno,
não quero lembrar momentos de tristeza outra vez,
Guardei comigo aquilo que não me traz transtorno.


Estou fugindo de agentes invejosos e do mal,
Acho o melhor remédio para um ser humano,
É bom ficar bem distante de um irracional,
Não lhe fazer mal, mas, dar-lhe o abandono.


Estamos curtindo o que Deus nos ofertou,
Ao lado - guiando um lindo e novo carrão,
Conquista realizada com o nosso amor,
Fruto dum árduo trabalho e dedicação.
Onde estamos e ficamos,
Com uma paisagem tão bela?
É esse o local que amamos,
Feito por Deus numa tela.
Fica lá no extremo oriental,
No recantinho das Américas,
E não verás uma beleza igual,
O sabiá formando orquestras.
Os bem-te-vis, pipilam e trinam,
O mar responde os seus cantares,
Que felicidade, vocês imaginam,
É afastar-se das grandes cidades.
Presenciando ninguém contesta,
A lindeza da nossa mãe natureza,
Que vive eternamente em festa,
Presente de Deus, com certeza.
Durante a noite o barulho do mar, 
Vendo a lua brilhar e se aproximar,
Ao alvorecer os pássaros a cantar,
E o meu coração aberto para amar.
Bem ao lado um rio e uma fonte,
Não tenho coragem de levantar,
Vejo o sol brilhando no horizonte,
Amando e rolando, pra lá e pra cá.
Não tem como você se estressar,
Ouvindo o galinho de campina,
Com seu belo canto, de arrepiar,
Pra completar aparece a cravina.
Em um pleno rosário de amor,
A terra abraça às águas do mar,
Momento bonito e de esplendor,
Estou ali presente para festejar.
Do AP vejo o sol nascer primeiro,
Dilatando o espaço do nosso dia,
Ao lado do meu amor verdadeiro,
Tudo isso é mais que uma regalia.
Cada um tem a sua cruz,
Não adianta o desespero,
Estou sempre com JESUS,
Que é o amor verdadeiro.
Agradeço sempre a Deus,
O nosso pai do universo,
Felicidades para os seus,
É tudo isso que lhe peço.
Estou aqui fazendo um teste, 
Com rima, prosa e poesia, 
Sou o MORAES DO AGRESTE,
Faço versos com alegria.
Momentos de incerteza,
O país quer consciência
Rogo a DEUS que nos proteja,
A sairmos da indecência,
E é isso que o povo almeja,
Sem nunca pedir clemência.
Irei parar por aqui,
Sou o MORAES para alguns,
Mas meu nome é JOSEMIR,
E nasci em Garanhuns.
Autoria: Josemir Moraes - MORAES DO AGRESTE 
(Oficial do Exército, Bacharel em Direito, outros, investidor - ramo imobiliário, modesto escriba, compositor, afilhado de poeta e caboclo sonhador).


As árvores que oxigenam o ar que respiramos e as flores que embelezam o caminho pelo qual passamos, são maravilhosos presentes do Criador do Universo. Estamos intrinsecamente ligados. Cuidemos daquilo que nos foi presenteado e confiado”.

W. H. Schubert.