NOTÍCIAS

Loading...

quarta-feira, 17 de setembro de 2014


POR QUE EXTINGUIR O DECRETO 8.243 - JOÃO GUERREIRO

MAIOR PROTESTO NO BRASIL DESDE 1500 - EM TODO O BRASIL

Lula admite que mentia e falsificava dados quando era de oposição

Dilma pede licença para matar.


Petista promete mais quatro anos iguais aos últimos quatro se reeleita! 
“Destruir para conquistar;
conquistar para destruir”

Por Reinaldo Azevedo 

A presidente-candidata Dilma Rousseff não quer saber de “coitadinhos” disputando a Presidência da República. Deixou isso muito claro numa entrevista coletiva concedida ontem, no Palácio da Alvorada, enquanto mordomos invisíveis, pagos por nós, administravam-lhe a casa. A rigor, vamos ser claros, a presidente nunca acreditou nem em “coitados” nem na inocência. Ou não teria pertencido a três organizações terroristas que mataram… inocentes! 


A propósito, antes que chiem os idiotas: isso que escrevo é
a: ( ) verdade;
b: ( ) mentira. 


Quem decidir marcar a alternativa “b” já pode se despedir do texto porque não é só um desinformado; é também um idiota — e não há razão para perder o seu tempo com este blog. Para registro: ela cerrou fileiras com o Polop, Colina e VAR-Palmares. Sigamos. 

Na quinta-feira passada, informou a Folha, ao se referir aos ataques que vem recebendo do PT, Marina Silva, candidata do PSB à Presidência, chorou. Os petistas não abrem mão de desconstruir a imagem da ex-senadora e de triturar a adversária, mas temem que ela se transforme numa vítima e acabe granjeando simpatias. Na entrevista deste domingo, Dilma tratou, ainda que de modo oblíquo, tanto da campanha negativa que o PT vem promovendo contra a peessebista como das lágrimas da adversária. Afirmou: 

“A vida como presidente da República é aguentar crítica sistematicamente e aguentar pressão. Duas coisas que acontecem com quem é presidente da República: pressão e crítica. Quem levar para campo pessoal não vai ser uma boa presidente porque não segura uma crítica. Tem de segurar a crítica, sim. O twitter é o de menos. O problema são pressões de outra envergadura que aparecem e que, se você não tem coluna vertebral, você não segura. Não tem coitadinho na Presidência. Quem vai para a Presidência não é coitadinho porque, se se sente coitadinho, não pode chegar lá”. 

Entenderam? Dilma está dizendo que a brutalidade é mesmo da natureza do jogo, avaliação que, em larga medida, remete a personagem de agora àquela militante do passado, quando grupos terroristas se organizaram contra a ditadura militar. Ou por outra: não havia, de fato, “coitadinhos” naquele embate. Eu sempre soube disso — e já o afirmava mesmo quando na esquerda. É por isso que a indústria de reparações — exceção feita aos casos em que pessoas já rendidas foram torturadas ou mortas pelo Estado — é uma vigarice intelectual, política e moral. 

Dilma, obviamente, sabe que o PT faz campanha suja ao associar a independência do Banco Central à falta de comida na mesa dos brasileiros. Dilma sabe que se trata de uma mentira escandalosa a afirmação de que o programa de Marina tiraria R$ 1,3 trilhão da educação. Em primeiro lugar, porque não se pode tirar o que não existe; em segundo, porque Marina, se eleita, não conseguiria pôr fim à exploração do pré-sal ainda que quisesse. 

E que se note: a presidente-candidata, que não apresentou ainda um programa final, deixou claro que considera desnecessário fazê-lo e, a levar a sério o que disse, aguardem mais quatro anos do mesmo caso ela vença a disputa. Leiam o que disse: 

“O meu programa tem quatro anos que está nas ruas. Mais do que nas ruas, está sendo feito. Hoje estou aqui prestando contas de uma parte do meu programa. Eu não preciso dizer que vou fazer o Ciência sem Fronteiras 2.0, a segunda versão. Eu não preciso assumir a promessa, porque fiz o primeiro. A mim tem todo um vasto território para me criticar. Tudo o que eu fiz no governo está aí para ser criticado todo o santo dia, como, aliás, é. Todas as minhas propostas estão muito claras e muito manifestas”. 

A presidente, sem dúvida, pôs os pingos nos is. Se ela ganhar mais quatro anos, teremos um futuro governo igualzinho a esse que aí está. Afinal, segundo diz, o seu programa já está nas ruas, já está sendo feito. O recado parece claro: nada vai mudar. 

Dilma voltou a falar sobre a independência do Banco Central, fazendo a distinção entre “autonomia” — que haveria hoje (na verdade, não há) e “independência”, conforme defende Marina. Segundo a petista, a proposta de Marina criaria um Poder acima dos demais. 

Vamos lá: discordar sobre a natureza do Banco Central é, de fato, próprio da política. E seria muito bom que o país fizesse um debate maduro a respeito. Mas, obviamente, não é isso o que faz o PT. Ao contrário: o partido aposta no terror e no obscurantismo. Pretende mobilizar o voto do medo e da ignorância. Quanto ao pré-sal, destaque-se igualmente: seria positivo se candidatos à Presidência levassem adiante um confronto de ideias sobre matrizes energéticas. Mas quê… De novo, os petistas investem apenas no benefício que lhes pode render a ignorância. 

Dilma segue sendo, essencialmente, a mesma, agora numa nova moldura: “o mundo não é para coitados, não é para os fracos”. E, para demonstrar força, se preciso, servem a mentira e o terror. Hoje como antes. O PT também segue sendo o mesmo: quando estava na oposição, transformava o governo de turno na sede de todos os males e de todos os equívocos. No poder há 12 anos, agora o mal verdadeiro está com a oposição. Seu lema poderia ser “Destruir para conquistar; conquistar para destruir”. 

Dilma pede licença para matar. Nem que seja uma reputação.

Petista da FAO cria factóide eleitoreiro Sobre a Fome no Brasil.


http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/sites/_agenciabrasil/files/gallery_assist/23/gallery_assist676033/030811VC6918.jpg
José Graziano, o brasileiro Que comanda a FAO, egresso do PT, Virou cabo eleitoral de Dilma.

Não Xico Graziano, par o Observador Político, EM ARTIGO intitulado "A Manipulação oficial da fome no Brasil".

Olha uma Mágica. No Passado Ano (2013) Dados da FAO OS, a Agência da ONU Pará Agricultura e Alimentação, indicavam that 7% da População brasileira passavam Fome. Passado hum Ano, ágora in 2014 Famintos OS caíram de para 1,8%. Realização do Governo? Nao, Mudança dos criterios.

A nova Metodologia da FAO parágrafo Calcular a Fome no Mundo Passou, Este Ano, a considerar uma Alimentação Das PESSOAS FORA DO Domicílio, incluíndo RESTAURANTES Populares e, principalmente, a merenda escolar, that no Brasil Atende à 43 Milhões de Crianças e Jovens.

Resultado: somando-se como calorias ingeridas e Proteínas fóruns de Casa, Famintos OS despencaram. MESMO ASSIM, AINDA somam 3,4 Milhões de PESSOAS.

ESTA CERTA a FAO, comandada Pelo brasileiro José Graziano da Silva, EM SUA aprimorar Metodologia. O fez, entretanto, num Momento delicado, EM MEIO AO Processo eleitoral Por aqui. Permitiu, ASSIM, SE E Que Localidade: Não combinou, Que o Governo manipulasse a Informação, escondendo da Opinião Pública como verdadeiras Razões da Queda. A FAO, caprichosamente, SERVIU à propaganda oficial mentirosa do PT. Lamentável.

Observação do blog Sobre a nova Metodologia da FAO:  Sábado e domingo, when Localidade: Não HÁ merenda Escolar, Dedicados São AO jejum?  Ou As Nossas children hibernam AOS FINAIS de semana?

Caos na cidade de São Paulo foi produzido por entidades ligadas ao PT e com cargo na Prefeitura, comandada por Fernando Haddad.

Escrevi ontem aqui que a pancadaria promovida por supostos sem-teto numa reintegração de posse no Centro da cidade de São Paulo não passava de ação partidária. Uma franja ligada ao PT resolveu promover o quebra-quebra na esperança, sei lá, de criar um fato eleitoral. Essa gente ainda não se deu conta de que a baderna tira, não dá, votos. O confronto com a Polícia Militar foi promovido pela Frente de Luta por Moradia (FLM), um movimento ligado ao partido, que pertence a um “coletivo”, como eles dizem, intitulado “Central de Movimentos Populares” (CMP), que é também mero esbirro do petismo. Gosto de demonstrar o que afirmo.

Na reportagem do Jornal Nacional, por exemplo, eis que dou de cara com o senhor Raimundo Bonfim, apresentado como coordenador da CMP. 
Raimundo Bonfim - JN
Sim, eu me lembrava dele. Escrevi sobre este bravo no dia 14 de agosto de 2013. Ele pretendia liderar, então, um protesto contra o governo Geraldo Alckmin, que estava sendo convocado pela página do PT na Assembleia Legislativa. Só isso? Não!
Além de coordenador da tal central, o homem é advogado e, atenção!, funcionário da Liderança do PT na Assembleia, com salário, no ano passado, de R$ 11.380. É isso mesmo o que você entendeu, leitor amigo: é você quem paga a boa vida do sr. Bonfim para que ele ajude a promover o caos.
Na campanha eleitoral de 2012, ele fez caminhada ao lado do então candidato Fernando Haddad, conforme se pode ver abaixo, e posou para fotos com a bandeira do PT. Não é e nunca foi um sem-teto. Trata-se apenas de um militante profissional.
bonfim com haddad
Bonfim PT
Haddad é grato a toda essa gente, que detém cotas na distribuição de moradias populares na cidade. Um dos coordenadores da FLM, que promoveu a bagunça nesta terça, Osmar Silva Borges, ganhou cargo na Prefeitura: virou assessor da Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab), com salário mensal de R$ 5.538,55. Não foi o único. Também Vera Eunice, coordenadora da Associação dos Trabalhadores Sem-Teto da Zona Noroeste, recebeu uma boquinha na empresa, com salário de R$ 5.516,55. Ou por outra: o grupo que protagonizou as cenas lamentáveis de violência e vandalismo é poder na cidade administrada por Haddad.
Fiquei ainda bastante encantado ou ler e ouvir o depoimento de Juliana Avanci, advogada dos invasores. Contra todas as evidências, contra tudo o que mostravam as TVs, ao vivo; contra todos os fatos, ela afirmou que a Polícia é que deu início ao confronto. A doutora seria apenas membro de uma ONG, o Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos. Apresenta-se simplesmente como uma defensora da causa, sem vínculos com os companheiros.
Pois é… O nome dela está num manifesto de “juristas e advogados” em apoio, então, à candidatura de Haddad à Prefeitura. Ela certamente sabia que o petista, se eleito, faria uma gestão simpática à companheirada e à causa, não é mesmo? E que se note: no HOTEL invadido e depois desocupado, a polícia encontrou 12 coquetéis molotov.
O que me incomoda nessa gente toda é menos o conteúdo do pensamento, por mais que eu considere lamentável, do que a hipocrisia. Admitam, então, que se trata de uma ação de caráter partidário e que eles avaliam que o caos lhes interessa. Ontem, sustentei aqui que os baderneiros de São Paulo eram apenas os braços operacionais de uma forma de entender o poder, aquela mesma que Lula havia expressado no dia anterior naquela pantomima autoritária e ridícula em frente à sede da Petrobras.
As evidências estão aí.
Por Reinaldo Azevedo

Lula requenta o truque de 2006.


Nosso Guia quer confundir a Petrobras com a gestão docomissariado petista com que aparelhou a empresa

Lula fez uma involuntária defesa do voto útil, aquele que vai para qualquer lugar, desde que o PT vá embora. Foi para a frente do prédio da Petrobras e disse o seguinte:
“Já houve três pedidos de CPI só na Petrobras. Eu tenho a impressão de que essas pessoas pedem CPI para, depois, os empresários correrem atrás delas e achacarem esses empresários para ganhar dinheiro. (...) Se alguém roubou, esse alguém tem mais é que ser investigado, ser julgado. Se for culpado, tem que ir para a cadeia.”
A Petrobras petista apareceu em várias CPIs. A primeira, de 2005, foi a do mensalão. Duas outras foram específicas e, com a ajuda do comissariado, deram em nada. Se Nosso Guia acha (e tem motivos para isso) que, incentivando-as, há “pessoas” achacando empresários que correm “atrás delas”, não se conhece uma só fala de petista denunciando achacados ou achacadores. O relator da comissão que está funcionando é o petista Marco Maia.
O primeiro comissário apanhado em malfeitorias relacionadas com a Petrobras foi o secretário-geral do PT, Silvio Pereira. “Silvinho” fez um acordo com Ministério Público e trocou o risco de uma condenação por 750 horas de trabalho comunitário. Ele ganhara um reles Land Rover de um fornecedor da Petrobras. Nem Lula nem o PT condenaram-no publicamente. Se o tivessem feito, teriam emitido um sinal. Afinal, dissera o seguinte: “Há cem Marcos Valérios por trás do Marcos Valério.” Ele está na cadeia. Salvo a bancada da Papuda, os demais estão soltos.
Em 2009, quando foi instalada a primeira CPI para tratar exclusivamente da Petrobras, o comissariado disse que a iniciativa tentava tisnar a imagem da empresa. Resultou que ela tisnou a imagem do instituto da CPI e os petrocomissários continuaram nos seus afazeres. Paulo Roberto Costa estava na diretoria da Petrobras desde 2004. Em oito anos, amealhou pelo menos US$ 23 milhões.
A CPI de hoje é abrilhantada também pelos petistas Humberto Costa, José Pimentel e Sibá Machado. Nenhum deles, nem Marco Maia, deve vestir a carapuça da fala de Lula, mas jamais apontaram um achacador. “Paulinho” foi preso em abril pela Polícia Federal e em seu escritório foram recolhidas abundantes provas de seus malfeitos. Ele prestou um depoimento à CPI em junho e o senador Humberto Costa considerou-o “satisfatório”. “Paulinho” disse o seguinte: “A Petrobras não é uma empresa bandida nem tem bandidos em seus quadros.” Tinha pelo menos um, hoje confesso: ele próprio.
Nessa comissão, como na anterior, a bancada governista não se deu conta do risco que corria. Descobriu-o há poucas semanas, quando “Paulinho” começou a colaborar com a Viúva. De saída, devolverá os US$ 23 milhões guardados em sua conta suíça, revelação ocorrida no dia seguinte ao seu depoimento. Nessa faxina não houve a colaboração do PT.
Durante a campanha eleitoral de 2006, o comissariado encurralou o tucanato, acusando-o de ter tentado privatizar a Petrobras. Era mentira, mas deu certo. Passados oito anos, Lula requentou o truque, mas há uma diferença: uma pessoa de boa-fé podia acreditar que os tucanos quisessem privatizar a Petrobras, mas fica-lhe difícil achar que falar em petrorroubalheiras possa prejudicar a empresa.



© 1996 - 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Seguranças de Dilma espancam jornalistas.


Um tumulto no início do debate entre os presidenciáveis promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, nesta terça (16) em Aparecida, resultou em agressão de seguranças da Presidência a jornalistas credenciados para cobrir o evento.

A repórter da Folha Marina Dias foi um das pessoas agredidas. Impedida por seguranças de entrar no local onde ocorreria o debate, ela foi agarrada pelo pulso por um agente federal, reagiu e foi empurrada contra uma parede. Ela sofreu ferimentos no braço, que ficou sangrando. O gestor de segurança da Basílica de Aparecida, José Guedes Filho, informou que toda a segurança na entrada e na saída do local foi organizada pela Presidência. 

A campanha de Dilma informou que seus seguranças seguiram orientação dos organizadores do evento, de que apenas fotógrafos e cinegrafistas poderiam entrar no estúdio onde ocorreu o debate.A assessoria de Dilma afirmou que não houve orientação da Presidência para barrar a imprensa e argumentou que o empurra-empurra ocorreu porque parte dos repórteres tentavam entrar onde não eram autorizados.(Folha de São Paulo)

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Ibope: Aécio sobe, Dilma e Marina caem.


Ibope - 16.9 (Foto: Arte/G1)
Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (16) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto na corrida para a Presidência da República:

Dilma Rousseff (PT): 36%
Marina Silva (PSB): 30%
Aécio Neves (PSDB): 19%
Pastor Everaldo (PSC): 1%
Zé Maria (PSTU): 0%*
Luciana Genro (PSOL): 0%*
- Eduardo Jorge (PV): 0%*
Rui Costa Pimenta (PCO): 0%*
Eymael (PSDC): 0%*
Levy Fidelix (PRTB): 0%*
Mauro Iasi (PCB): 0%*
- Branco/nulo: 7%
- Não sabe/não respondeu: 6%

* Cada um dos sete indicados com 0% não atingiu 1% das intenções de voto; somados, eles têm 1%
No levantamento anterior do instituto, encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgado no dia 12, Dilma tinha 39%, Marina, 31%, e Aécio, 15%.
 
Segundo turno
Ibope também simulou três cenários de segundo turno. São eles:

- Marina Silva: 43%
- Dilma Rousseff: 40%
- Branco/nulo: 11%
- Não sabe/não respondeu: 6%

- Dilma Rousseff: 44%
- Aécio Neves: 37%
- Branco/nulo: 12%
- Não sabe/não respondeu: 6%

- Marina Silva: 48%
- Aécio Neves: 30%
- Branco/nulo: 15%
- Não sabe/não respondeu: 8%

O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 204 municípios do país entre os dias 13 e 15 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-00657/2014.

Espontânea
Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:
- Dilma Rousseff (PT): 31%
- Marina Silva (PSB): 24%
- Aécio Neves (PSDB): 15%
- Outros: 1%
- Branco/nulo: 10%
- Não sabe/não respondeu: 18%

Rejeição
De acordo com a pesquisa, a presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Nesse item da pesquisa, os entrevistados puderam escolher mais de um nome.
- Dilma Roussef: 32%
- Aécio Neves: 19%
- Pastor Everaldo: 17%
- Marina Silva: 14%
- Levy Fidelix: 12%
- Zé Maria: 12%
- Eymael: 11%
- Luciana Genro: 11%
- Mauro Iasi: 10%
- Rui Costa Pimenta: 10%
- Eduardo Jorge: 9%

Avaliação do governo
A pesquisa mostra que a administração da presidente Dilma tem a aprovação de 37% dos eleitores entrevistados – no levantamento anterior, divulgado no último dia 12, o índice era de 38%. O percentual de aprovação reúne os entrevistados que avaliam o governo como "ótimo" ou "bom". Os que julgam o governo "ruim" ou "péssimo" são 28%, segundo o Ibope. Para 33%, o governo é "regular". Os dois índices são os mesmos do levantamento anterior. O resultado da pesquisa de avaliação do governo Dilma foi o seguinte:

- Ótimo/bom: 37%
- Regular: 33%
- Ruim/péssimo: 28%
- Não sabe/não respondeu: 1%

Aécio: S do BNDES será de Social.


O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou que, caso seja eleito, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai deixar de dar o que ele chama de "bolsa empresário". A declaração foi uma crítica direta aos empréstimos concedidos pela instituição financeira durante o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) a grandes empresas de todo o País, com recursos do Tesouro. "No meu governo, o "S" de BNDES será de fato social", afirmou. 

O candidato citou que pretende utilizar os recursos do banco para conceder empréstimos, por exemplo, a médicos, para que construam mais clínicas. Ele afirmou que o compromisso é de construir pelo menos 500 clínicas durante o governo dele em todo o Brasil. De acordo com o tucano, o pagamento do empréstimo será feito por meio de atendimento à população nessas clínicas via Sistema Único de Saúde (SUS). "Vamos resgatar a capacidade de investimento na saúde", disse. 

Marina
O candidato do PSDB voltou a fazer críticas à candidata do PSB, Marina Silva, afirmando que "não adianta criar um personagem às vésperas da eleição" e que ela tem mudado de posição para se "acomodar" à realidade eleitoral, em função de pressões de alguns setores. "Não adianta queremos criar um NOVO PERSONAGEM às vésperas da eleição. Quem votar no Aécio e no Aloysio (Nunes, candidato à vice na chapa) sabe que esta votando em um projeto", afirmou.

Apesar da crítica, Aécio afirmou que sua campanha não pretende "estimular nem tampouco compactuar com essa campanha do medo" empreendida pelo PT contra Marina Silva. Ele avaliou como "inaceitável" os ataques pessoais, "com comparações indevidas", que o partido da presidente Dilma Rousseff tem feito contra a ambientalista, como no caso da independência do Banco Central. 

"O que eu cobro de todos os candidatos é que digam com clareza aquilo que representam, aquilo que defendem", afirmou. Ele citou como exemplo o fato de Marina agora defender a política econômica tucana, mas que, no passado, não contribuiu para a implantação de algumas medidas, como o Plano Real, e a aprovação da lei dos transgênicos.(Estadão)

TSE cassa site criminoso de Franklin Martins.











O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu nesta terça-feira, 16, uma liminar para retirar do ar o site Muda Mais (www.mudamais.com.br), criado por integrantes ligados ao PT para defender a reeleição da presidente Dilma Rousseff. A decisão, dada pelo ministro Herman Benjamin, atende a um pedido da coligação da candidata do PSB à Presidência, Marina Silva.

O endereço eletrônico tem se tornado um dos CANAIS mais críticos dos adversários de Dilma na corrida ao Palácio do Planalto. O alvo inicial do site era o tucano Aécio Neves e, com o crescimento de Marina nas pesquisas, a candidata do PSB entrou na mira da página. Hoje mais cedo, por exemplo, a página publicou um artigo no qual insinuava que Marina pretende vender a Petrobras, caso eleita.

Em sua decisão, o ministro do TSE considerou que, pela Lei das Eleições, é proibida a veiculação de propaganda, ainda que gratuitamente, em páginas eletrônicas de pessoas jurídicas com ou sem fins lucrativos. Em caso de descumprimento da decisão, os responsáveis pela página vão pagar multa diária de R$ 50 mil.

A chapa de Marina citou o fato de que a campanha da adversária e Dilma inicialmente tinha dois sites, o Dilma (www.dilma.com.br) e o Muda Mais, este ligado ao ex-ministro Franklin Martins. A defesa da candidata do PSB argumentou na ação que, mesmo tendo sido desvinculado da candidatura de Dilma, o Muda Mais continuou a ser usado como portal de campanha.Os advogados de Marina sustentaram no processo que a empresa Digital Polis, que detém o REGISTRO da página oficial de Dilma, também abriga o Muda Mais, sendo assim responsável pela alimentação dos dois sites.

O ministro Herman Benjamin, relator da ação, entendeu que ficou configurada, em análise do pedido de liminar, a propaganda irregular. Segundo o ministro, podem fazer propaganda eleitoral somente as páginas eletrônicas habilitadas legalmente para tanto. "Entendo, pois, ao menos neste juízo de cognição sumária, que o sítio www.mudamais.com transgride a proibição (prevista na legislação), pois, apesar de estar desvinculado da campanha da candidata Dilma Rousseff e registrado em nome de pessoa jurídica (Polis Propaganda & Marketing Ltda.), continua veiculando propaganda eleitoral (irregular) em favor daquela", afirma o ministro, no despacho registrado às 15h07.

O ministro considerou ainda que a página, "com forte conteúdo eleitoral a um dos candidatos", poderá provocar desequilíbrio na disputa eleitoral - no caso em favor de Dilma. Benjamin determinou a citação dos envolvidos para se pronunciar na ação, entre eles a presidente da República. (Estadão)

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O QUE É SER PETISTA?

O QUE É O PT, EM frase genial de Roberto Campos
Roberto Campos, economista Grande, that was Ministro, Senador, Deputado e Embaixador (Foto: Oscar Cabral)
Roberto Campos, economista Grande, that was Embaixador, Ministro, Senador e Deputado (Foto: Oscar Cabral)

È sempre oportuno Recordar uma frase genial e ferina a Respeito do PT Produzida POR Roberto Campos - Embaixador de Carreira, grande economista e pensador do Brasil, especialista los Por um nu malandragens da demagogia, do Populismo, fazer "nacionalismo" interesseiro e De To Us Link machos Nacionais, e that POR ISSO MESMO Passou a Vida Sendo achincalhado POR Inimigos ideológicos:
- O PT E o Partido dos Trabalhadores Que Localidade: Não trabalham, dos Estudantes Que Localidade: Não estudam e dos Intelectuais Que Localidade: Não pensam.
Quanto A Última Parte da Histórica frase, Sera Que era JÁ UMA premonição los Relação à filósofa Marilena Chauí?

"Eu Localidade: Não Posso me conformar los Ser pobre."  Lula Em 2004, explicando AO Jornal Espanhol El País

Ligação permanente da Imagem Incorporada




PT não fala mais em privatização da Petrobras porque privatizada ela já está: pelo PT, PMDB e PP. A mentira da hora diz respeito ao pré-sal.


O gosto de um povo costuma ser o seu destino
Por Reinaldo Azevedo

Em 2002, 2006 e 2010, o PT inventou que os tucanos haviam querido — e quereriam ainda — privatizar a Petrobras. Alguma evidência, algum documento, alguma fala oficial de governo, alguma proposta que apontasse para isso? Nada! Nem um miserável papel.

A maior evidência de que dispunham era um estudo encomendado para mudar o nome da empresa para Petrobrax. Uma burrice? Sem dúvida! Privatização? É piada! Tratava-se apenas de uma mentira de cunho terrorista — já que o partido sabia que a população brasileira, na sua maioria, infelizmente, se oporia à ideia. 

Este nosso povo bom prefere uma estatal lotada de larápios, roubando dinheiro para si e para seus respectivos partidos, a uma empresa privada que funcione bem, sem assaltar o nosso bolso. O gosto de um povo costuma ser o seu destino.

Lembro, só para ilustrar, que, às vésperas do segundo turno da eleição de 2010, José Sérgio Gabrielli — um dos principais responsáveis pela compra desastrada da refinaria de Pasadena —, então presidente da estatal, concedeu uma entrevista à Folha em que afirmou que o governo FHC havia tomado medidas em favor da privatização. 

Não apresentou uma só evidência, é claro!, porque se tratava apenas de uma mentira. Privatizada, como vimos, de fato, a Petrobras já está, o que não é segredo para ninguém. As evidências que vêm à luz a cada dia ilustram o descalabro. 

Pois bem! Neste 2014, falar que estão querendo privatizar a Petrobras não chega a ser uma coisa exatamente popular. A empresa está mais nas páginas de polícia do que nas de economia, não é mesmo? Privatizada, ela já está. Como vimos, boa parte de sua operação pertence a companheiros do PT, do PMDB e do PP. Uma gangue agia dentro da empresa, em conexão com outra que, segundo Paulo Roberto Costa, atuava do lado de fora. Fica difícil convocar a população para a guerra santa em defesa de um nome que, infelizmente, acabou tão manchado. 

Como é que o PT vai fazer, então? O partido não sabe fazer campanha eleitoral sem transformar seus adversários em satãs. Os petistas não conseguem entender o jogo político senão pela eliminação do outro. Não lhes basta simplesmente vencê-lo. Sem encontrar, antes como agora, verdades fortes o bastante em favor de si mesmos, então recorrem a mentiras contra seus oponentes. 

Assim é com essa história absurda de que, se eleita, Marina vai tirar R$ 1,3 trilhão — sim, os desmandos da turma já atingiram a casa dos bilhões, e as mentiras, dos trilhões — da educação em razão da não exploração do pré-sal. Esse é o terrorismo da vez. 

Moralistas como são, advertidos até internamente de que isso é forçar a barra, os chefões não se intimidaram. Como Dilma deu uma pequena reagida, e Marina, uma esmorecida, chegaram à conclusão de que esse é mesmo um bom caminho. Se eles não podem vencer com a verdade, indagam sem hesitação: “Por que não a mentira?”. 

Nesta quinta, em entrevista à Rede TV, Dilma culpou Marina, quando ministra do Meio Ambiente, pela demora nas licenças ambientais para obras de infraestrutura. É mesmo? Eu posso criticar algumas questões que a então ministra levantou ao longo do tempo sobre esta ou aquela obras, Dilma não! Ora, se ela criava dificuldades tecnicamente injustificadas e artificiais, por que não foi posta, então, fora do governo? Por que não se fez, então, o devido debate público? É que Lula gostava — e precisava — da “simbologia Marina”. 

No horário eleitoral gratuito, o PT demoniza empresários e banqueiros, apresentados como um bando de salafrários que se regozijam quando supostos inimigos do povo — sim, Marina é o alvo principal — aparecem combinando tramoias. É grotesco que, nestes dias, quando conhecemos a casa de horrores em que se transformou a Petrobras, o PT venha a público para atacar o setor privado. 

Encerro com um dado: até há cinco dias, Dilma, a que aparece como a adversária de empresários cúpidos, havia arrecadado mais do que o dobro da soma de Aécio e Marina: R$ 123,3 milhões entre julho e agosto, contra R$ 42,3 milhões do tucano e R$ 19,5 milhões de Marina. 

Essa é a cara deles. Essa é a moralidade deles.

Colégios e Universidades: doutrinação ou aprendizado?






O cursinho se tornou um lugar de repetição. “Decore isso para o vestibular”. “Vocês tem que aprender isso porque o vestibular cobrará”. São duas lições que aprendemos: Copiar e Repetir, sem questionar. E se questionar, o ostracismo dos próprios alunos e o professor abusando de discurso de autoridade balbucia “Bom, eu sou professor, quer saber mais que eu?”. Pais prestem atenção onde colocam seus filhos.

Pessoas escutando diariamente, em diferentes matérias, o quanto o capitalismo fez “mal” a sociedade. O Lucro é condenável, ganhar dinheiro é mais valia. Enche a boca para dizer que é o melhor colégio, pois aprovam X pessoas, só em medicina. Vocês estão levando seus filhos para serem doutrinados, não para serem ensinados.

Escuta-se, em aulas de humanas, por exemplo, que: “Para existir um pobre, tem que existir um rico”, ou um chavão até mais clássico, como: “A revolução industrial só aumentou a miséria humana!”. Se contestar isso, em sala de aula, você é o coxinha burro que o professor enche a boca e diz “Você quer saber mais de história que eu?”. É, abaixe a cabeça e copie, afinal, é o que você está acordando todos os dias para fazer.

Quando se passa do vestibular parece que é diferente. Você vai estudar por conta própria, vai estudar para ter o futuro, de fato. Não, não muda. Fica até pior. Professores mais arrogantes que usam ainda mais o argumento de autoridade e te marcam se você ousa questionar-los.  Um episódio que ocorrera comigo, na aula de ECONOMIA I – sim, na faculdade -. O professor, cujo nome não irei citar, dizia “com a economia neoliberal, o Fernando Henrique Cardoso, faria isso ou aquilo”.

Eu, como libertário, levantei a mão e falei “Professor, o FHC usou medidas de cunho social democrata, pela criação de órgãos reguladores para tudo aquilo que privatizou, mais a ampliação de programas sociais e afins, por isso que ele não pode ser considerado neoliberal”.  O professor, simplesmente, em vez de responder, contrapondo o argumento, apenas disse “Fica quieto, guri, você não sabe de nada.”. É, para que ter argumentos se passou em concurso e virou professor, né?

Universidade, um lugar criado para se pensar, virou um lugar de militantes, repetidores de cartilha de partidos de esquerda.  Não se vai para a faculdade por gana aos estudos, mas sim para não ter que ir trabalhar e/ou pressão dos pais. Salvo raras exceções, a universidade virou reduto de militantes e pessoas que vão apenas pela festa.  Isso é reflexo do proprio método de ensino superior, educação básica e o desencorajamento na meritocracia. Você vê que uma biblioteca de uma universidade tem prateleiras cheias de assuntos como o marxismo, e dois ou três livros liberais perdidos no meio.

Estudar, no Brasil, é feito de heróis.  Estudar para que? Temos bolsa-familia. Trabalhar para que? Temos bolsa-presidiário – maior que o salário mínimo. Meritocracia? Isso é coisa de burguês. Lamentável até onde se chegou o pensamento do Estado Babá.  Uma sociedade que se baseia em implorar ao Estado para consertar os próprios erros está fadada ao fracasso. 

A educação se torna doutrinação, quando se é regulada por um órgão governamental. Monopolizam o jeito de se ensinar, por exemplo, não se pode ensinar os filhos em casa, é considerado ilegal. Lugar de criança é na escola. Na escola que eu, Estado, escolherei o método usado e direi que é melhor para você, porque, afinal, eu sei melhor do que você aquilo que é melhor para você. Controla-se tudo. Desde o primeiro livro que o colégio disponibiliza, até a bibliografia utilizada nas suas aulas de faculdade. Sim, é obrigatório ensinar tal matéria com “tal conteúdo” e de “tal forma”.

Chega de controlar. Deixe a educação ser livre. Deixem os pais ou até os proprios filhos escolherem o que vão estudar,  ou até mesmo deixar os pais ensinarem seus filhos em seus proprios lares. Chega de um padrão de ensino, chega de um padrão onde não força a meritocracia e desenvolva a vontade de aprender. Chega de escutar e repetir.  Não necessitamos aprender as mesmas coisas que todos, portanto, aprenda aquilo que você tenha gana e no que és melhor. Não deixem que o Estado tome, de vez, a nossa liberdade. Não estraguem a juventude, não permitam que o Estado estrague a vida de seus filhos.

Não se deixem pegar pega síndrome de Estocolmo, reajam. Estudantes que não se conformam com os discursos de seus professores, não aceitem, enfrentem. Vocês não estão sozinhos,  liberais estão dominando todos os cantos. Defenda o que você acha certo, mesmo que seja o único que defenda. 

“Ideias e somente ideias, podem iluminar a escuridão” - Ludwig Von Mises.


Lucas Pagani é Estudante e Colunista do Instituto Liberal.